O que fazer no deserto do Atacama? Confira!

o que fazer no deserto do atacama
8 minutos para ler

Já pensou em curtir essa viagem a bordo do seu 4×4, mas não sabe bem o que fazer no deserto do Atacama? Localizado no norte chileno, na fronteira com o Peru e próximo à Argentina e à Bolívia, é considerado um dos pontos mais áridos da Terra e é um dos destinos favoritos dos aventureiros.

A melhor época para visitar a região é na meia estação, entre março e maio, e após o inverno, entre setembro e novembro. São muitos os atrativos naturais da região, mas vale destacar alguns que fazem valer a pena ir de carro do Brasil para lá, como a Travessia dos Andes, visitar o Vulcão Lascar e a Laguna Lejía.

Quer ter mais dicas de lugares para visitar no Atacama? Então, engate a primeira e dê a arrancada na leitura do post para saber mais sobre esse passeio encantador!

Travessia dos Andes

Cruzar a Cordilheira dos Andes é uma bela forma de começar e aproveitar a viagem para a região do deserto do Atacama, só o percurso, por si só, vale os muitos quilômetros rodados. São diversos os roteiros, dentre eles partindo de Mendoza, na Argentina, de Santiago do Chile, a capital do Chile, e de Foz do Iguaçu, no Brasil e já na divisa com a Argentina. Cada roteiro tem suas particularidades, mas a paisagem é — com o perdão do clichê — de tirar o fôlego.

De carro

o que fazer no deserto do atacama

Se você está procurando uma experiência única, a bordo de um 4×4 a viagem fica muito mais interessante. Saindo de Foz do Iguaçu, nossa dica é fazer a travessia dos Andes na ida pelo Paso de Jama e voltar pelo Paso de Sico, duas estradas com paisagens surreais. Mas fique atento aos horários de circulação e se a estrada está aberta, pois é muito comum entre janeiro e março, as estradas sofrerem com as chuvas e ficarem fechadas por determinado período de tempo para manutenção.

Reserve três dias para ir de Foz do Iguaçu até San Pedro, sendo um dia de Salta, na Argentina, para San Pedro de Atacama, no Chile, pois o tempo gasto para os trâmites na fronteira com o Chile é bem relativo.

Pequenas paradas para apreciar as belezas naturais, degustar uma bela empanada ou milanesa e fotografar as montanhas é um privilégio se você está de carro. Outro ponto importante é a altitude presente na travessia, se hidrate e evite o consumo de bebidas alcoólicas no dia anterior. Fique atento a documentação necessária para cruzar as fronteiras, horários equipamentos obrigatórios para trafegar tanto no Chile quanto na Argentina.

De ônibus

Para quem preferir ir de ônibus, a dica é comprar uma passagem partindo de Santiago do Chile, escolher a janela frontal ou, caso não esteja disponível, ficar do lado direito do ônibus. Para quem não tiver tempo, avião é a melhor opção.

De avião

Procure passagem aérea para Calama (Aeroporto Internacional El Loa), que fica há aproximadamente 1 hora de San Pedro de Atacama de carro, e você pode tanto alugar um 4×4 e retirar no aeroporto ou contratar um serviço shuttle, são inúmeras as agências que fazem esse transporte de passageiros.

Se você estiver em San Pedro e se deparar com inúmeras picapes 4×4 vermelhas, até mesmo uma Amarok, fica tranquilo! São viajantes que alugaram o carro ou taxistas locais, e o interessante é que o vermelho é a cor de segurança na mineração, e o Chile como maior produtor de cobre do mundo, tem esse peculiaridade na sua frota de veículos 4×4.

San Pedro de Atacama

Um oásis no meio do deserto com aproximadamente 5,3 mil habitantes, é a cidade base dos aventureiros para explorar o deserto. No vilarejo de San Pedro de Atacama, você encontra uma comunidade de diferentes nacionalidades. E ao redor, pequenos povoados, como Coyo, que ainda preservam a cultura indígena local e carregam os traços deixados pelo trabalho na mineração.

Hoje a população vive basicamente do comércio e da prestação de serviços para turistas, a mineração deixou de ser a principal atividade lá. São inúmeros os hotéis, restaurantes, lojinhas e casas de câmbio que você encontra ao caminhar pelas nas ruas de chão batido.

Preste atenção a arquitetura, as construções de adobe – uma mistura de terra, água e palha, trazem um ar rústico e pitoresco a cidade, um cenário incrível com a imponência do vulcão Licancabur no horizonte.

San Pedro possui preços e experiências para todos os bolsos e vive repleta de turistas do mundo inteiro o ano todo. Por isso, planejamento é essencial para você curtir o máximo sem dor de cabeça.

Vulcão Lascar

Essa é uma das principais atrações para quem curte trekking, muita emoção e quer fugir do típico roteiro turístico. Existem diversos vulcões na região do Atacama, e o Lascar está entre os principais. A subida de seus quase 6 mil metros é uma das atividades de turismo de aventura mais procuradas. O encanto vem do fato de o vulcão estar ativo, o que aumenta a adrenalina da subida!

Naturalmente, a caminhada é feita com o acompanhamento de guias especializados e com o devido equipamento, além de os participantes estarem munidos de lanches, água e tudo que for necessário para encarar o trajeto. Para o aventureiro, o dia começa antes mesmo do sol nascer e por mais que a caminhada até o topo não seja extensa, deve ser feita aos poucos para o corpo ir aclimatando com a altitude.

A segurança é levada a sério, não havendo chance alguma de o passeio ser feito em momentos de erupção do vulcão — que são fenômenos raros e ocorrem com intervalos de anos, às vezes de décadas.

Estradas

o que fazer no deserto do atacama

As estradas que levam ao Lascar também sofrem com as chuvas. Mas chuva no deserto? Pois é, as chuvas no deserto do Atacama estão associadas a um fenômeno conhecido como inverno altiplânico.

Resumindo, naturalmente a Cordilheira dos Andes é uma barreira que impede que as correntes úmidas de ar do oceano Atlântico cheguem ao deserto. Por sua vez, as correntes marinhas do pacífico possuem baixa temperatura não possibilitando que a água evapore e forme as nuvens carregadas de gotículas – chuva. No entanto existe uma exceção, que é o inverno altiplânico.

Mas o que poucos sabem é que é possível chegar até certa altitude com seu 4×4, mas jamais faça o passeio por conta própria. São muitos os elementos que são necessários levar em consideração, como clima, altitude condição das estradas e conhecimento da região. No entanto, não se preocupe, na Expedição Atacama do Território Amarok, temos um dia reservado para essa experiência exclusiva.

Laguna Lejía

o que fazer no deserto do atacama

Ir ao vulcão Lascar e não visitar a Laguna Lejía não é uma opção. Já imaginou um lago salgado, no meio do deserto, cercado por pequenos montes, grandes montanhas de até 6 mil metros e vulcões e um cenário que muda dependendo do horário do dia?

Essa é a melhor forma de descrever a Laguna Lejía. De manhã é possível observar o reflexo da paisagem. Depois, lá pelo meio-dia, a tonalidade da água vai amarelando, devido aos componentes presentes na água e o vento. E dependendo do dia, você também poderá observar flamingos. Um lado não turístico de um dos desertos mais vistados do mundo.

Dessa forma, há pacotes turísticos que oferecem transporte, comida e todos os cuidados relacionados a altitude, que pode causar mal-estar. A região é ideal para fotografias de uma paisagem belíssima e única. E até mesmo do céu, com uma clareza de imagens difícil de se captar em outros pontos do planeta.

Esperamos que tenham apreciado as dicas de o que fazer no deserto do Atacama. E essas não são as únicas atrações, há muito mais a se conhecer e curtir na região, como salares, tours astronômicos, águas termais e gêiseres encantadores.

Então, para saber mais sobre essa região e outros destinos incríveis, acompanhe a gente nas redes sociais! Estamos no Facebook, no Instagram e no YouTube!

Até mais!


Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-