PETAR: um excelente passeio para um final de semana

petar-territorio-amarok
7 minutos para ler

Está procurando um bom programa para um fim de semana?  O PETAR pode ser a resposta!

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, ou PETAR, possui a maior porção atual da Mata Atlântica brasileira. A região comporta diversos sítios arqueológicos e mais de quatrocentas cavernas.

O PETAR está localizado entre os municípios de Iporanga e Apiaí e foi o primeiro Patrimônio da Humanidade do Brasil. Reconhecido pela UNESCO em 1958. Hoje em dia, é umas das unidades de conservação mais importantes do mundo.

A região é muito conhecida pelo ecoturismo. Afinal, é um destino e tanto para quem curte aventura e natureza. Além de cavernas, trilhas antigas levam a várias cachoeiras, escarpas, abismos e rios de águas cristalinas. Lá, o visitante se depara com 360 km² de pura natureza e paisagens de tirar o folego.

Um ótimo destino para curtir o final de semana, não?

Origem geográfica do PETAR

Há milhares de anos, o solo montanhoso da região e sua densa vegetação funcionam como uma barreira contra o vento que vem do oceano. Por isso, o alto nível de chuva é frequente.  

petar-territorio-amarok

A chuva ácida, por conta do contato da água com as rochas calcárias, proporcionou a formação das muitas cavernas na área. Lugares incríveis, cujos pisos, tetos e paredes são enfeitados por formas de estalactites, estalagmites e diversas outras formações. Em outras palavras, uma verdadeira exposição de esculturas naturais. 

O alto nível de umidade no ar e a presença da floresta preservada, geraram fantásticos rios e riachos e incontáveis cachoeiras que aparecem dentro e fora das cavernas. Criando, assim, paisagens quase utópicas que, inevitavelmente, se tornaram pontos turísticos muito valorizados.

Sabendo da origem de formação da região, se destaca a importância do uso sustentável deste local. Dessa forma, a prática do ecoturismo permite que os visitantes desfrutem destas belezas naturais com o mínimo de impacto nocivo ao meio ambiente.

Os núcleos do PETAR

Para o turismo ecológico, o PETAR é um legítimo paraíso. Os visitantes podem imergir na tranquilidade que é o contato com a natureza pura. Como, por exemplo, em trilhas por dentro da mata e observação da fauna e da flora. Ou, podem preferir uma pouco mais de adrenalina. Por exemplo, optando por esportes de aventura, como o rapel, escaladas, ciclismo e boia cross.

Por isso, o PETAR é dividido em núcleos, cada qual com características diferentes. Portanto, você pode escolher o tipo de experiência que quer para o seu passeio ou aproveitar um pouco de tudo!

Núcleo Santana

O Núcleo Santana é o mais conhecido e visitado. Se encontra no vale do Rio Betari, é uma das paisagens mais notáveis da região. Alí, há diversos roteiros de visitação, como a própria Caverna do Santana, a trilha do Betari, Caverna Água Suja e Cafezal. Assim como as cachoeiras das Andorinhas e Beija-Flor. Além disso, as trilhas de fácil acesso deste núcleo estão localizadas no Bairro da Serra, em Iporanga.

Núcleo Ouro Grosso

Ouro Grosso também se localiza no Bairro da Serra. É onde está um singelo museu com utensílios tradicionais da região, assim como um centro de educação ambiental que atende as comunidades locais e a rede escola.

Nesse local, situa-se a Caverna Ouro Grosso, reservada a espeleólogos mais experientes devido à difícil travessia. E, entre outras, a Caverna Alambari de Baixo com seus amplos salões de entrada e uma trilha que atravessa um rio interno.

Núcleo Caboclos

Dos demais, o Núcleo Caboclos é o que possui a menor infraestrutura. Já que comporta apenas um alojamento simples para pesquisadores e uma pequena área onde se pode acampar, com banheiros e chuveiros. Nesse local, também não há energia elétrica ou pousadas.

As cavernas que pertencem a esse núcleo fazem parte da Trilha do Chapéu. Elas são: a Caverna do Chapéu, Chapeu Mirim I, II e Aranhas. Entretanto, as mais distantes, como a Temimina I e a Temimina II, são consideradas as mais bonitas do Parque, por terem parte da floresta em seus pórticos.

O Núcleo Casa de Pedra

O Núcleo Casa da Pedra está localizado a 10 km de Iporanga e 52 km de Apiaí. Além dos atributos naturais da região, o lugar apresenta outros de cunho histórico e cultural. Por exemplo, as ruinas do antigo garimpo de ouro Santo Antônio, cujos registros remontam ao século XVI.

Contudo, vale lembrar que toda essa região foi alvo de diversas expedições exploradoras. Principalmente, para extração do ouro, que foi encontrado em abundancia na região durante um longo período de tempo. Por isso, o nome de cidades como Eldorado e Registro. Esse nomes surgiram em um posto de controle da Coroa portuguesa, em meio ao Rio Ribeira de Iguape, com a intensão de evitar que o metal fosse livremente surrupiado, já naquela época.

petar-territorio-amarok

Mas, a principal atração desse núcleo é a Caverna Casa de Pedra. E não é atoa, já que possui o maior pórtico do mundo, registrado no Guinnes Book. Afinal, são 215 metros de altura com a aparência de uma genuína casa de pedra. Um ponto turístico que você não pode deixar de visitar!

Lá, o Rio Maximiliano atravessa a caverna entrando por esse grande portal e ressurge em outra boca de com o nome de Santo Antônio. Curiosamente, esta parte da caverna tem o formato de uma caveira.

Caverna do Diabo

Não deixe que o nome te amedronte pois o destino é imperdível. A Caverna do Diabo tem inclusive seu próprio parque, contando com duas cachoeiras e um restaurante no local. Perfeito para um passeio em família.

Enfim, a caverna possui uma extensão de 6km, sendo 600 metros deles disponíveis para visitação. A estrada que leva ao local apresenta desafios. Dentre todas as cavernas abertas a visitação do PETAR, esta é a que possui mais estrutura, como iluminação, pontes, escadas, e uma área com restaurante, estacionamento e banheiros. É, sem dúvida, a mais famosa dentre os turistas. Sendo assim, um passeio muito interessante para todas as idades.

Quer saber mais sobre as cavernas do PETAR? Clique aqui.

Como chegar e onde de hospedar no PETAR

O acesso ao Parque pode ser feito por diversas rodovias, porém, a Regis Bitencourt é a mais utilizada. A saída que leva ao Parque é na cidade de Jacupiranga, por onde se segue para Eldorado e Iporanga. Acesse PETAR online para ver mapas e outras informações.

No site, você encontra, também, diversas opções de pousadas. A maioria se localiza no Bairro da Serra, já que é o mais próximo das atrações e trilhas. Recomenda-se sempre fazer reservas com antecedência. Além disso, uma boa parte dos atrativos da região exige que o visitante vá acompanhado de um guia de turismo. Então, conte com a ajuda deles para um melhor proveito da viagem.

E aí, gostou? Já adicionou o PETAR na sua programação de final de semana?

Visite o Parque a bordo de sua Amarok e mande as fotos para nós!

Que tal ficar por dentro de tudo que acontece por aqui? Acesse nosso canal do Youtube e acompanhe as nossas viagens.

Até breve!

Você também pode gostar

2 thoughts on “PETAR: um excelente passeio para um final de semana

    1. Olá, Geraldo.
      Tudo bem?

      Ainda não temos previsão para outra expedição no PETAR.

      Acesse nosso site wwww.territorioamarok.com.br para encontrar informações sobre os próximos passeios.

      Qualquer dúvida, estamos á disposição!

Deixe um comentário

-